ENTRAR

sábado, 3 de agosto de 2013

Estátuas Vivas em Tomar 2013 - Programa e Cartaz

Nos dias 13, 14 e 15 de Setembro 2013 decorre em Tomar mais um grande Festival de Estátuas Vivas, onde se irá recriar a história contada pelos grandes escritores.

A História contada pelos grandes escritores é o mote que vai trazer à cidade nabantina quadros literários famosos como o “Sermão de Santo António aos peixes” do padre António Vieira, a “Ilha dos Amores” de Camões ou a “morte do Conde Andeiro” de Fernão Lopes. Entre as novidades do evento contam-se recriações gastronómicas literárias nos restaurantes do concelho e o regresso do concurso de fotografia.

Na manhã de 6ª feira, frente à igreja de S. João, começa a nascer a grande pintura 3D que os Madonnari Street Painting (Nápoles) irão realizar durante os 3 dias do evento.

Os Madonnari são artistas urbanos que pintam no chão das ruas, usando carvão, giz e pastel. O nome provém das suas origens, cerca do século XVI, quando pintavam coloridas madonnas nas praças de Roma.

À noite chegam as Estátuas Vivas, com a reposição de algumas das melhores performances da edição anterior. No centro histórico, 8 artistas vão dar vida a 7 cenas do quotidiano medieval. Todos os participantes premiados em 2012, dispersos por Almourol, Dornes e Tomar, vão agora tornar inesquecível o passeio entre a capela de Stª Iria e a praça da República.

Depois de ter batido o recorde do mundo de suspensão num único apoio, com uma marca de mais de 5 horas, António Santos/Staticman volta ao Festival e a surpreender com uma Estátua Viva suspensa no ar.

As noites do fim de semana prolongam-se na animação das esplanadas, com a magia envolvente da música e do fogo.

Dos trovadores a Saramago e Lídia Jorge

O Festival aproveita as condições magníficas da cidade, com o rio a atravessá-la e a apetecível ilha do Mouchão, para dar corpo a estas imagens literárias, num périplo que começa junto à capela de Santa Iria, se prolonga ainda até ao jardim da Várzea Pequena e depois pela Corredoura até às arcadas dos Paços do Concelho, na Praça da República, onde o padre Bartolomeu de Gusmão tenta fazer voar a sua “passarola voadora”, de acordo com o registo de José Saramago.

Depois, subindo até ao conjunto monumental constituído pelo Castelo Templário e pelo Convento de Cristo, onde ecoam imagens dos trovadores medievais, dos cronistas régios e dos personagens de Gil Vicente, o Festival estende-se ainda, pela primeira vez, à Ermida de Nossa Senhora da Conceição, palco para a recriação de um dos maiores clássicos da Literatura Portuguesa, o “Frei Luís de Sousa” de Garrett.

Extra-concurso, é ainda grande a expectativa para a performance de António Santos que, depois de o ano passado aqui ter batido o recorde mundial de imobilidade em suspensão, vai este ano representar-se a si próprio, Staticman, personagem central do romance “Jardim sem limites” de Lídia Jorge.

Pintura 3D e regresso ao passado

O Festival Estátuas Vivas 2013 começa na sexta-feira, dia 13, logo pela manhã, com os Madonnari Street Painting, de Nápoles (Itália) a começarem a sua grande pintura 3D no chão, em frente à igreja de S. João Baptista.

À noite chegam as Estátuas Vivas, com a reposição de algumas das melhores performances da edição anterior. No centro histórico, oito artistas vão dar vida a sete cenas do quotidiano medieval, com a presença de todos os participantes premiados em 2012, e então dispersos por Almourol, Dornes e Tomar.

Pela primeira vez, também oito das 20 Estátuas Vivas apresentadas pelos mais jovens, em 2012 nas “Histórias aos Quadradinhos” farão parte da Seleção 2012, na Praça da República.

“Alice no País das Maravilhas”

Nas manhãs de sábado e domingo, o Mouchão será palco para as “Histórias aos Quadradinhos” deste ano, com 20 jovens oriundos das escolas tomarenses a inspirarem-se num clássico da literatura universal, “Alice no País das Maravilhas”, de Lewis Carroll.

Também para os mais novos, à tarde, junto à margem esquerda do rio e ao parque infantil, haverá divertimento garantido na Via Verde Júnior com jogos, insufláveis, pinturas faciais e muitas outras actividades.

Estátuas, montras e exposições

As estátuas vivas representarão os seus quadros entre as 17h30 e as 19h30 (no sábado e no domingo) e ainda das 22h00 às 24h00 na noite de sábado.

O público é convidado a votar no seu quadro favorito, com base nos critérios de imobilidade, expressividade e caracterização, com vista à escolha dos três melhores, que serão anunciados na Praça da República, às 20h00 de domingo.

Mas ao longo do dia haverá muito mais motivos de interesse, desde a exposição que mostra as fotografias de Tomar no século XIX feitas por António da Silva Magalhães, na rua com o seu nome, até aos painéis que, nas imediações do rio Nabão, apresentam “Um século de notícias”, passando pelas montras do centro histórico que se vestem com roupagens de outrora.

Literatura inspira gastronomia

Novidade a não perder será a “Cultura de Faca e Garfo”. 23 cafés e restaurantes do concelho responderam ao desafio e, nos dias 13, 14 e 15 de Setembro vão apresentar nos seus cardápios viagens por aromas e paladares entre referências gastronómicas da literatura portuguesa. Reproduzindo a receita original ou expressando-se em cozinha de autor, terão sempre por base os ingredientes e temperos da época narrada.

Nas noites de sexta e sábado, das 0h00 à 1h30 haverá ainda animação de esplanadas. 

Todas as iniciativas do Festival têm entrada livre.

0 comentários :

Enviar um comentário

English Destinoslusos Version Spain Destinoslusos Version French Destinoslusos Version German Destinoslusos Version