ENTRAR

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Feira de Santa Iria em Tomar 2013 - Programação

A Feira de Santa Iria 2013 ou Feira das Passas decorre de 18 a 27 de Outubro em Tomar e para além de muita animação, o destaque vai para a procissão da Igreja S. João Baptista à Ponte Velha no Dia de Santa Iria (20 Outubro).

 Como habitualmente, o certame contará com divertimentos, vendedores e exposição de automóveis, motos e tractores agrícolas centrados na Várzea Grande enquanto a Praça da República acolhe mais uma vez a Feira das Passas.

Não faltará a música popular e também os sabores da região vão voltar a marcar presença nas tasquinhas. Já confirmada está a nova localização da Feira das Passas: no terreno onde estava edificada a messe dos oficiais, junto ao tribunal e à igreja de S. Francisco.

Este ano não será excepção, com o habitual cortejo em honra da padroeira de Tomar e no qual se integram as crianças dos jardins-de-infância e escolas do 1.º ciclo do concelho. A feira funcionará dentro dos moldes habituais, com os divertimentos, vendedores e exposição de automóveis, motos e tractores agrícolas centrados na Várzea Grande.

 Também os sabores da região vão voltar a marcar presença nas tasquinhas, situadas no mercado municipal.

A feira de Santa Iria, ou das Passas, ocorre em Outubro. Foi criada por Carta Real de Filipe III de 3 de Outubro de 1626, substituindo a de Santo André em época mais favorável às passas, produto em que esta região foi sempre farta e reguladora do preço.

Era feira de tendeiras, sirgueiros, sombreireiros, canastreiros, merceeiros, cordoeiros, ourives, sapateiros curtidores, oleiros, taberneiros, peixeiros, vendedores de legumes, de pão, de alhos, cebolas e esteiras de castanhas, de ferramentas e alfaias, de cestos, peneiras e varas, de caixotaria, de cobertores e de panos.

O dia em que chove pétalas

O momento mais simbólico da Feira é, porém, o dia 20 de Outubro, que este ano calha a um domingo. Reza a lenda que, há muitos séculos atrás, uma bela moça chamada Iria deixou perdido de amores o jovem Britaldo, mas já decidira consagrar a sua vida a Deus e isso mesmo lhe explicou. Todavia, no Convento, também o seu perceptor, frei Remígio, se apaixonou por ela e, neste caso, ao ver-se não correspondido, preparou-lhe uma beberagem que a fez parecer grávida. Britaldo, julgando-se enganado, mandou-a matar, acto de que um seu criado se encarregou, atirando depois o corpo para o rio Nabão.

Hoje, no suposto local, a Ponte Velha, o martírio da santa é recordado pelas crianças das escolas do concelho que, no dia 20, atiram milhares de flores e pétalas ao rio, simbolizando o sangue de Iria, num espectáculo único e magnífico.

Tudo começa com uma missa, às 10h00, na igreja de S. Maria do Olival, de onde partirá a procissão (às 11h00), pelo percurso Rua de S. Iria, Rotunda dos Bombeiros, Av.ª General Norton de Matos, Av.ª Ângela Tamagnini, Rotunda Raúl Lopes, Alameda Um de Março e Rua Marquês de Pombal até à Ponte Velha.

Todos os anos a lenda é também trabalhada nas escolas, resultando em inúmeros trabalhos manuais que estarão expostos durante os dias da Feira no Convento de S. Francisco. No mesmo local haverá este ano uma novidade para os mais pequenos: com base no livro “O dia em que choveu pétalas”, a história de Iria adaptada literariamente para as crianças por Nuno Garcia Lopes será contada pelo próprio, seguindo-se um atelier a partir das ilustrações de Sandro Ferreira. Dia 19 para o público em geral, e entre os dias 21 e 25 para as escolas, sempre às 10h00, sujeito a inscrição pelo telefone 249 329 876.

Filipe Santos (e muitos mais) no palco da Várzea

O programa da Feira é ainda complementado com muita animação, a decorrer no palco, este ano situado no espaço da antiga Messe de Oficiais, ao lado da igreja de S. Francisco. Assim, logo na sexta-feira, dia 18, pelas 22h00, actua a Banda T. No sábado, 19, à mesma hora, será a vez da Banda dos Gualdins  e dos FH5 partilharem o palco.

No domingo, dia 20, a etnografia do concelho estará representada através do Rancho Folclórico da Linhaceira e do Rancho Folclórico do CIRE, que actuam a partir das 16h00. À noite, pelas 21h30, o palco será dos Krypton.

A animação musical regressa na quarta-feira, dia 23, pelas 22h00, através de Rock Avenue com FiIipe Santos (da Operação Triunfo), e ainda com a Tuna Cavaleiras de Sellium.

Na quinta, à mesma hora, actuam os K’Preta e na sexta os Sãos e Salvos. No sábado, 26, ainda às 22h00, será a vez da Tuna Templária e da Banda Réplica.

Finalmente, no domingo, 27 de Outubro, pelas 16h00, actuará o Rancho Folclórico de Alviobeira.

Ainda maior protagonismo para as crianças

O momento mais simbólico das festividades de Santa Iria é o dia 20 de Outubro, que este ano calha a um domingo. Reza a lenda que, há muitos séculos atrás, uma bela moça chamada Iria deixou perdido de amores o jovem Britaldo, mas já decidira consagrar a sua vida a Deus e isso mesmo lhe explicou. Todavia, no Convento, também o seu perceptor, frei Remígio, se apaixonou por ela e, neste caso, ao ver-se não correspondido, preparou-lhe uma beberagem que a fez parecer grávida. Britaldo, julgando-se enganado, mandou-a matar, acto de que um seu criado se encarregou, atirando depois o corpo para o rio Nabão.

Hoje, no suposto local, a Ponte Velha, o martírio da santa é recordado pelas crianças das escolas do concelho que, no dia 20, atiram milhares de flores e pétalas ao rio, simbolizando o sangue de Iria, num espectáculo único e magnífico.

Tudo começa com uma missa, às 10h00, na igreja de S. Maria do Olival, de onde partirá a procissão (às 11h00), pelo percurso Rua de S. Iria, Rotunda dos Bombeiros, Av.ª General Norton de Matos, Av.ª Ângela Tamagnini, Rotunda Raúl Lopes, Alameda Um de Março e Rua Marquês de Pombal até à Ponte Velha.

Todos os anos a lenda é também trabalhada nas escolas, resultando em inúmeros trabalhos manuais que estarão expostos durante os dias da Feira no Convento de S. Francisco.

A exposição estará patente ao público nos dias 21 a 25 de Outubro, entre as 9h00 e as 12h00 e as 13h00 e as 18h00. Nos dias 19, 20, 26 e 27 (fim-de-semana), poderá ser visitada das 13h00 às 18h00. No mesmo local haverá este ano uma novidade para os mais pequenos: com base no livro “O dia em que choveu pétalas”, a história de Iria adaptada literariamente para as crianças por Nuno Garcia Lopes será contada pelo próprio, seguindo-se um atelier a partir das ilustrações de Sandro Ferreira. Dia 19 para o público em geral, e entre os dias 21 e 25 para as escolas, sempre às 10h00, sujeito a inscrição pelo telefone 249 329 876.

Folclore e animação musical no palco da Várzea

O programa da Feira é ainda complementado com muita animação, a decorrer no palco, este ano situado no espaço da antiga Messe de Oficiais, ao lado da igreja de S. Francisco. Assim, logo na sexta-feira, dia 18, pelas 21h30, actua o grupo Danças Rumo Certo (do Programa Escolhas, do CIRE), seguido da Banda T. No sábado, 19, às 22h00, será a vez da Banda dos Gualdins e dos FH5 partilharem o palco.

No domingo, dia 20, a etnografia do concelho estará representada através do Rancho Folclórico da Linhaceira, que actua a partir das 14h45. À noite, pelas 21h30, o palco será dos Krypton.

A animação musical regressa na quarta-feira, dia 23, pelas 22h00, com a Tuna Cavaleiras de Sellium, Rock Avenue com FiIipe Santos (da Operação Triunfo) e os Just Under.

Na quinta, à mesma hora, actuam os K’Preta.

Na sexta, 25 de Outubro, a noite começa com o Grupo de Cantares Os Templários, às 21h00, seguindo-se, pelas 22h00, os Sãos e Salvos. No sábado, 26, de novo às 22h00, será a vez da Tuna Templária e da Banda Réplica.

Finalmente, no domingo, 27 de Outubro, pelas 16h00, actuarão o Rancho Folclórico do CIRE e o Rancho Folclórico de Alviobeira.

0 comentários :

Enviar um comentário

English Destinoslusos Version Spain Destinoslusos Version French Destinoslusos Version German Destinoslusos Version